15 de ago de 2014

Cities of Vampires | Capitulo 11 |


Amanda p.o.v
O que eu estava fazendo? Eu estava mesmo beijando Natan? Eu estava mesmo com meus lábios grudados nos deles? Que loucura era essa? Em meio a essas perguntas, coloquei minha mão em seu peito e o afastei de mim.
Seus olhos encontram com os meus, que estavam arregalados, surpresos, uma mistura de emoções, o que eu iria dizer? Mandar ele se fuder e nunca mais encostar em mim?
Não. Provavelmente ele nem sabia o que era isso. Sabendo disso as únicas palavras que escaparam da minha boca foi...
- Nunca mais faça isso.
Virei-me de costa, abri a porta e sair daquele quarto que eu com certeza nunca mais voltaria.
Assim que entrei no meu quarto, fechei a porta e passei minhas mão pelo rosto, o que eu acabara de fazer? O que eu acabara de deixar acontecer?
Merda.
Me sentia uma Catarina da vida, na manhã de hoje eu havia quase beijado Justin e na noite de hoje eu havia beijado Natan. Não. Ele havia me beijado.
Mais você deixou.
Uma voz me alertava na minha cabeça. Mente idiota.
Como eu iria encarar Justin amanhã? Como eu iria encarar Natan amanhã? Eu precisava sair daqui. Agora.
Fui até a janela grande do meu quarto e olhei para o céu.
Nada.
Nenhuma estrela cadente no céu.
[...]
- Amanda, ei amanda, Amanda acorda está na hora do café – ouvi uma voz reconhecida, era Amélia –Bom dia bela adormecida, estamos esperando você para o café, se arrume –ela disse jogando um vestido na minha cara, pensei que as pessoas do século 14 fossem educadas, pensei
- ok já estou indo –eu disse, ela assentiu sorrindo e saiu do quarto. Ok, Amélia estava estranha.
Me levantei e fui até o banheiro, fiz minha higiene – tomar banho, escovar os dentes e blá blá blá – e fui enrolada numa toalha até o quarto, depois de me secar e colocar minhas roupas intimas, ou melhor pedaços de panos tentando ser um sutiã e uma calcinha, não sei se havia comentado mais as roupas intimas do século 14 não era nada igual a do século 21. Verdade Amanda? Pensei que eram iguais , ótimo eu estava ficando louca, minha mente sabia ser irônica, olha que legal.
Depois de estar arrumada, suspirei antes de sair do quarto, desci as escadas que dava em direção a sala de jantar, e vi que todos se encontravam em seus assentos, ok, Justin e Natan estavam ali, sentados, me olhando.
- Bom dia querida – Pattie simpática como sempre falou-
- Bom dia Amanda – Jeremy disse
- Bom dia – eu respondi para os dois
- Senta aqui do meu lado Amanda – Amélia falou batendo de leve na poltrona ao seu lado
Sorri como resposta, e fui em direção a cadeira e me sentei, olhei para frente e Natan me encarava. Desviei meu olhar quando uma das empregadas colocou um pouco de café na minha xícara.
- Obrigada – eu agradeci-
- Mais então querida o que você pretende fazer depois de tudo que você descobriu? –Pattie perguntou
- Eu sinceramente não sei, é confuso acreditar que sou filha dos bruxos mais poderosos, mais confuso saber que eu tenho uma irmã, e ainda mais confuso saber que meus pais não se lembram de mim. – eu respondi
É, era tudo confuso de acreditar.
- Nós entendemos como é confuso mais é por isso que você está aqui Amanda – Jeremy disse- talvez seja por isso que você esteja aqui, para descobrir tudo que você não sabe
- Eu também estou me convencendo disso, mais a perguntar que não sai da minha cabeça é, por que meus pais me esconderam isso?
- Isso você vai ter que descobri Amanda, a algo por ai que não se encaixa – Amélia disse
- Você está certa – eu falei
- Confesso que é estranho saber que os Keller’s tiveram outra filha no futuro – Pattie disse
- Com certeza viram que aquela cobra da Catarina não valia nada – Amanda falou com uma certa raiva em sua voz.
- Com licença – ouvi a voz de Natan
Olhei para ele e vi que ele já estava se retirando da mesa e indo para a sala de estar.
- Ele sempre fica assim quando falam de Catarina – Justin falou
- Não entendo como Natan ainda pode sentir algo por aquela...
- Amélia – Pattie a interrompeu – os modos na mesa por favor.
- Perdoe-me mãe- Amélia se desculpou
- Acho melhor continuarmos nosso café – Jeremy sugeriu
As vezes me esquecia que eles eram vampiros, ele eram tão... humanos, eram simpáticos, não falavam muitas coisas complicadas do século 14, eram tão... diferentes. Assim que terminei meu café da manhã, junto com os outros fomos todos para sala de estar, Natan estava na poltrona com um copo de whisky na mão balançando-o pensativo.
- Perdoe-me Natan, não deveria ter falado de Catarina – Amélia pronunciou quando o viu ali na poltrona – mais você entende que eu não gosto dela, nunca gostei.
- Tanto faz – ele respondeu ríspido
Natan se levantou, colocou seu copo de whisky na mesinha de madeira ali no centro e saiu da sala.
- Acho melhor você ir falar com ele Amanda – Pattie disse
- Eu? Por que? – perguntei confusa
- Sim, você parece ser a única que ele dá atenção. – ela disse
- Acho melhor não –sugeri
- Eu acho que sim Amanda, Pattie está certa – Jeremy disse
Merda, eu só me meto em encrenca.
- Tudo bem eu vou subir para falar com ele.
Subindo as escadas me deparei com o corredor enorme, ok eu tinha duas opções.
Primeira, falar com ele.
Segunda, ir para meu quarto e falar para todos que ele não quis conversar comigo.
Mais como já era de costume eu fazer idiotices escolhi a primeira opção.
Assim que cheguei na frente de seu quarto nem precisei bater, Natan já havia aberto para mim e me encarava como se já me esperasse.
Eu havia dito a mim mesma ontem a noite que nunca mais entraria nesse quarto, então por que eu estava aqui? Por que eu estava um pouquinho preocupada com ele? Eu só podia estar ficando louca, vir aqui depois dele ter me beijado.
- Sabia que você viria. –ele disse – Entra
- Acho melhor não – eu disse - Não se preocupe eu não vou te beijar – o olhei desconfiada e ele sorriu, entrei dentro do quarto e pude ouvir um “ Ah não ser que você queira”.
- Vou logo ao ponto – o olhei e vi ele confuso, revirei os olhos – esquece, por que você reagiu daquele jeito na sala, cara sua mãe ta preocupada com você, seu pai também.
- Não gosto quando falam da Catarina – ele falou
- Mais não precisa ser um ogro – eu disse
- Meu jeito Amanda, meu jeito –ele concluiu
- Ta eu não vou me preocupar com você, eu tenho meus problemas para me preocupar, eu tenho mais o que fazer Natan – eu disse me virando de novo e abrindo a porta
Pelo menos tentando.
O desgraçado havia trancado a porta.
- Abre essa porta – eu falei
- Não antes de te explicar algumas coisas Amanda – percebi que ele estava bem perto de mim, me afastei a distância era bem melhor.
- Eu não tenho nada para falar com você Natan, abre isso – eu disse
- Temos sim Amanda, você não quer saber o por que de tudo isso que esta acontecendo? Você está confusa não está? Então, eu vou te ajudar a entender.
- Como se você soubesse alguma coisa – eu disse revirando os olhos
- Meu deus é difícil de ter uma conversa com você Amanda, quer saber eu vou dizer tudo de uma vez só – Natan disse se alterando
- O que Natan? – perguntei
- Era eu, era eu que estava no mato, atrás do posto de gasolina.
--------------------------------------
Suspense o.o uhsauhsuas
Oiii amores como vocês tão? Espero que bem u.u
O que acharam desse capitulo? estou na correria então não vou poder responder vocês :/
Espero que gostem do capitulo amores da minha vida  <3 
Até o próximo capitulo <3

5 comentários:

Hey amores cada comentário seu é importante para mim, com o seu comentário posso saber o que precisa melhorar na Fan fic, comentem é muito importante para mim <3